conecte-se conosco

Mundo

Transexual cearense é morta na Itália com cerca de 80 facadas; Confira ela no programa Raul Gil

A polícia italiana suspeita que o criminoso era um cliente da vítima, que a esfaqueou após uma discussão

Publicados

em

Mceara.News 2020.07.22 11 57 14

A artista transexual Manuela de Cássia, do Ceará, foi esfaqueada até a morte na segunda-feira, 20, em um apartamento onde morava em Milão, Itália. Segundo informações publicadas pelo jornal italiano Milano Today, pelo menos 80 perfurações foram encontradas no corpo do cearense de 48 anos.

Segundo o relatório, os vizinhos da vítima sentiram um forte cheiro de gás vindo de seu apartamento e ligaram para o corpo de bombeiros. Após a chegada, as equipes conseguiram entrar no apartamento pela janela e encontraram o corpo de Manuela seminu, com golpes de faca no peito e nas costas.

Uma investigação está em andamento, mas a polícia italiana já está trabalhando na hipótese de que Cassia – que trabalhava como acompanhante, foi assassinada por um cliente após uma discussão. Também há uma suspeita de que o criminoso tenha deixado um gás aberto na cozinha de propósito antes de escapar da cena e pegar a arma do crime.

Como apontou o relatório italiano, Manuela foi acolhida por seus vizinhos. Há 25 anos, artistas cearenses participaram do quadro de dublagens Gala Show do programa Raul Gil, que recebeu aplausos da plateia e elogios do apresentador.

Em uma declaração emitida ao O POVO, a Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS-CE) expressou solidariedade com a família e os amigos de Manuela e afirmou que está entrando em contato com a agência federal com o Ministério da Cidadania. Acompanhe e tome medidas no caso.

Confira nota na íntegra

“A Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos se solidariza com a família e amigos de Manuela de Cássia, artista trans cearense encontrada morta na Itália. A SPS, por meio da Coordenadoria de Políticas Públicas para LGBT, está em contato com o Ministério da Cidadania solicitando o acompanhamento e as providências a serem tomadas pelo órgão federal.

A Coordenadoria também está em contato com a Prefeitura de Fortaleza, por meio do Centro de Referência Janaína Dutra, e com a Defensoria Pública para unir esforços no apoio necessário.

A SPS repudia todo e qualquer ato de violência e intolerância e reafirma seu compromisso com a construção de uma sociedade justa e inclusiva, sem discriminação e com respeito à dignidade humana”.

Propaganda